A história de Balneário Piçarras, surgiu do interesse natural que o povo português tem pela pesca. No início do século XVIII, pioneiros desbravando a costa de Santa Catarina, encontraram o seu Éden. Foi graças ao mar e seus recursos, que se deu o povoamento de Piçarras, esse mesmo mar que hoje atrai e encanta turistas de todos os cantos do mundo.

 

Prepare-se para embarcar nessa história em rumo do desenvolvimento de Balneário Piçarras.

 

História de Balneário Piçarras

De acordo com o historiador José Ferreira da Silva, no livro “História do Município de Penha“, publicado no ano de 1958, na segunda metade do século XVIII, pescadores portugueses vindos da região de São Francisco do Sul desceram a costa com o intuito de encontrar baleias, o que na época, era a principal matéria-prima das atividades econômicas da região.

Alguns desses pioneiros se fixaram na porção de terra do litoral catarinense que mais se aproximava do mar, o qual batizaram de “Ponta do Itapocorói“, região na época habitada exclusivamente por indígenas da tribo dos Carijós. A grande quantidade de baleias e as condições marítimas e geográficas perfeitas, se tornaram incontestável para que ali se fixasse um povoado.

No ano de 1777, nasce o núcleo inicial dos municípios de Penha e Piçarras, chamado de “Armação do Itapocorói“. Lembrando que armação era o nome dados pelos portugueses para o local onde içavam as estruturas específicas utilizadas no manejo das baleias.

A partir daí, os poucos moradores que já se fixaram ao decorrer da costa passaram a ser visitados com maior frequência por comerciantes que vinham do porto do Rio de Janeiro e retornavam com seus navios abastecidos de barbatanas, azeite, e demais derivados da baleia, comercializado em Armação.

A alavancagem da economia local, atraiu muitas famílias, e no final do século XVIII e início do século XIX, as famílias Silva Lima, Vieira, Macedo, San’tAnna, Quadros, Figueiredo, Pinto, e outras famílias de origem alemã, polonesa e italiana, já formavam o povoado de Piçarras. No ano de 1820, o historiador francês August de Saint Hilaire, visita o povoado e registra suas impressões do lugar no livro “Viagem pela Província de Santa Catarina“. Caminhando pelas praias, ele descreve avistar casas, de distância em distância, simples cabanas, e nota que a parte em frente ao mar é bastante habitado, enquanto que para o interior há unicamente mata.

A terra, antes habitado apenas por indígenas, cede espaço ao colonizador açoriano e a outros povos, vindo de várias partes do Brasil. Com a caça excessiva da baleia, logo veio a sua extinção e a Armação perde o seu espaço econômico e político para Penha. A região hoje compreendida pelo município de Balneário Piçarras, no ano de 1839, passou a complementar a região de Penha, subordinada a São Francisco do Sul.

Posteriormente, no ano de 1860, Itajaí responsabiliza-se pelo distrito de Penha e, logo, Piçarras também. A emancipação política de Penha vem em 1958 e, na mesma época, Piçarras inicia um movimento para emancipar-se também, o que consegue no dia 14 de Dezembro de 1963 e Francisco Fleith alcança a Prefeitura. E assim, o município ganha sua identidade, sendo reconhecida por muitos anos, como a “Namoradinha do Atlântico”, por causa da grande quantidade de turistas que recebia durante a década de 1970.

 

 

Origem do nome Balneário Piçarras

Por causa da grande quantidade de rochas de argila, que recebe o nome de piçarra, encontrada em abundancia no subsolo do município, surgiu o nome. Piçarra ou piçarro, também é muito comum de se encontrar no nordeste brasileiro, sendo citado até no poema Morte e vida Severina de João Cabral de Mello e Neto:

“Para quem lutou a braço contra a piçarra da caatinga, fácil será amansar esta aqui, tão feminina…”.

Finalmente no ano de 2011, a cidade ganha o nome de Balneário Piçarras, para mostrar de uma vez por todas para o Brasil, sua vocação para o turismo.

 

Balneário Piçarras – Nos dias de Hoje

Com uma localização geográfica privilegiada, ficando aproximadamente 20 quilômetros do aeroporto de Navegantes e ligada por vias pavimentadas à BR-101, o que garante acesso rápido a outros polos de diversão e passeio, como o parque temático de Beto Carrero World, em Penha, a famosa Oktoberfest em Blumenau e ótimas compras em Brusque. O Balneário Piçarras recebe no verão, milhares de turistas que vão encontrar nas areias de suas belas praias, tranquilidade e ótimas opções de entretenimento em família. Com uma excelente infraestrutura, a cidade está preparada para recepcionar da melhor forma possível, turistas de todos os cantos do mundo. Pousadas, bares, casas noturnas, mercados e restaurantes que oferecem o famoso rodízio de frutos do mar, são apenas uma pequena amostra do que Piçarras tem a oferecer para seus visitantes. Atualmente, um setor que está em expansão no nosso município é o Ecoturismo, também não poderia ser diferente, em uma cidade que oferece tantas belezas naturais como Piçarras, fica até muito fácil.

 

Aqui preparo um convite à você!

Coloquei todos as fotos históricas que encontrei na internet, em um álbum no Facebook. Me ajude a marcar o local, as pessoas e convide os amigos para compartilhar este material. Vamos juntos resgatar a História de Balneário Piçarras, uma cidade que tanto amo.

Para acessar o álbum e participar, clique aqui.

 

*Aqui deixo meu agradecimento a Susan Corrêa, secretária de Turismo de Piçarras, e toda sua equipe que me ajudou com as informações que hoje posso compartilhar com você.